sexta-feira, agosto 03, 2007

 

A CASA DE PAPEL (IV)



Acabei excluindo este trecho, de um post anterior, por ele ter ficado fora do contexto. No entanto, o que o precede é uma das revelações importantes da história, qu’eu não posso ou não quero antecipar. Não sou o tipo que entrega desfecho de filme ou conta detalhes demasiados de um livro. No entanto, achei tão significativa a passagem (se lerem o livro, constatarão o porquê) que quis transcrevê-la, mesmo que, aparentemente, ela não lhes faça sentido:

(...) Não é um assunto menor. Espero que me entenda. Imagine por um momento que, ao longo de sua vida, o senhor conseguiu conservar um conjunto de lembranças sobre a sua infância; sensações, cheiros, a luz que iluminava o cabelo da sua mãe, as primeiras aventuras no quarteirão, impressões mais ou menos caóticas de algo insondável, mas que forma, ao fim e ao cabo, uma memória da sua infância com seus terrores, alegrias e emoções. Depois tem um registro do seu crescimento. A escola organiza. Os professores, os colegas, as primeiras aventuras, e assim continuou acumulando lembranças de cada uma de suas experiências até chegar à atualidade.

Um dia, de modo inesperado, perde a ordem de suas lembranças. Continuam ali, só que se tornaram inencontráveis. Quando procura a imagem de sua primeira mulher, encontra o sapato que mordia um cachorro num distante terreno baldio da sua infância. Quando procura o rosto da sua mãe, acha o de um sujeito desagradável numa repartição pública obscura. Acabou-se a sua história. (...)

O pior de tudo é que os fatos estão ali, à espera de que os encontre. E você não tem como fazê-lo. Não se trata do esquecimento, que cobre, piedoso, o que não consegue tolerar. É uma memória selada, um chamado obsessivo ao qual não pode responder. (...)

["A Casa de Papel", de Carlos Maria Domínguez, 2006, Editora: Francis, pp. 68-69]

Pra minha avó materna, Nozinha (seu nome é Leonor), hoje com 95 anos,
que está esquecendo, aos poucos, sua história e seus personagens...



Comments:
tem uma lição de casa pra vc lá no meu brógui.;0)
 
Ih, Vivien... Sou péssima pra listas! Escolhas não são o meu forte!

Tem vindo pouco aqui, ou não deixado comentários?

bjão,
Clé
 
Clélia, com o seu bom gosto, qq escolha é um acerto!
Eu esotu complicada com a internet...to sem pc e to sem ir ate a unicamp, fica complicado!
Mas eu ficarei mais presente.beijos.
 
Clélia,
A Meg mandou-me visitá-la. Um pedido dela pra mim é uma ordem. Adorei, voltarei mais vezes. Fiquei muito emocionado com a dedicatória. Morro de medo de esquecer as histórias.
Grande beijo
 
Caro Lord,

Te vejo sempre em comentários de outros blogs, especialmente, o da Vivien e o da Meg. Falam, por sinal, muito bem de você! Preciso retribuir-lhe a visita...

Que bom que gostou do Achados! Explore-o, e comente, sempre que quiser...

Uma honra recebê-lo aqui!

bjo,
Clélia
 
Vivien,

Sei da sua dificuldade de conexão, mas é que senti falta dos seus pitacos!

'Tô pensando na lista de livros, mas não espere demais...!

bjão,
Clé
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?